Leitura  e arte
Leiturartes
Bom dia! Sábado 24 de Agosto de 2019  -   Passagem das Pedras, Picos - Piauí

Postado em: 09/06/2016 - Por: Nonato Fontes - Visitas: 1003

A baixa credibilidade da classe política brasileira

Analisando friamente a desmoralização da política no Brasil, é possível chegar a seus maiores culpados

Alguns políticos não se contentaram com o resultado da eleição e partiram para a inconstitucionalidade, o vale tudo. Desempenharam um papel de maus perdedores

A baixa credibilidade da classe política brasileira

No esporte, seja qual for a modalidade, existem regras para serem seguidas e todos os seus participantes são previamente informados para que assumam as responsabilidades de cumpri-las. Nem sempre todos acompanham as orientações dessas regras e as infringem, sendo estes punidos de acordo com o erro, em alguns casos até banidos, para que assim a modalidade esportiva não seja desprestigiada.

 

Como todo esporte, as profissões também têm suas regras, todas de acordo com a atividade desenvolvida, e também devem ser respeitadas, tanto para um convívio sadio entre os que as desenvolvem dentro de suas repartições, como para a própria sobrevivência da mesma. Mas em caso de falta de compromisso com as regras, as punições serão sempre demissões aos infratores, para que não contaminem os que as respeitam.

 

Na política não é diferente, existem as leis que funcionam como regras para que sejam seguidas. Como uma profissão, estas regras estão bem explícitas na constituição. Mas na política têm também aqueles que esquecem ou simplesmente desconhecem as regras, assim como no esporte, esta pessoa deve ser banida do meio, ou pelo menos deveria, para que não contamine o ambiente onde há aqueles que respeitam as leis da profissão que escolheu para seguir.

 

Na realidade brasileira dos últimos dias, as regras não estão sendo respeitadas, ou falando mais claro, estão rasgando a constituição, quando deveriam zelá-la muito mais, pois ela é quem os mantém seguros naquela profissão que escolheram para desempenhar. Neste caso, como não se respeitam as próprias regras que eles mesmos ajudaram a criar, estão desmoralizando a classe política no geral.

 

Analisando friamente a desmoralização da política no Brasil, é possível chegar a seus maiores culpados, não que possamos citar nomes, não é necessário aqui, mas dizer por onde começou o circo de fogo que eles mesmos armaram para si próprios. Quando falamos em regras, e na política elas estão explícitas na constituição, lembrando que um dos parágrafos diz que todo poder emana do povo, e como falamos anteriormente, estão rasgando a constituição, começamos a tocar na ferida que contaminou a classe.

 

Nas últimas eleições tivemos uma disputa acirrada, onde os ânimos foram à flor da pele. Foram trocas de farpas, acusações de todas as espécies, faz parte do jogo, mesmo não sendo o ideal, pois mancha a classe dentro das proporções de cada acusação. Mas se faz parte do jogo e não ferira ainda as regras, essa disputa deveria ser esquecida após a vitória de uma das partes, obrigando o perdedor a aceitar a derrota e continuar sua tarefa de acordo com as normas estabelecidas na constituição.

 

Alguns políticos não se contentaram com o resultado da eleição e partiram para a inconstitucionalidade, o vale tudo. Desempenharam um papel de maus perdedores, e todo mal perdedor estraga a beleza da competição, isso foi o início de uma derrocada na política brasileira, mesmo tendo muitos políticos que ainda mantinham as regras sendo respeitadas.

 

Partindo do princípio do que é estabelecido na constituição, o parágrafo citado acima foi esquecido: Todo poder emana do povo. Partiram para a contestação dos votos de 54 milhões de brasileiros que saíram de suas casas para dizerem quem por os últimos quatro anos iria governar o Brasil. Não obtendo êxito logo de início e, sem ligarem para as consequências que isso ia provocar, resolveram colocar em curso um plano diabólico: Ela ganhou, mas não governa. Foram inúmeras as chamadas "pautas bombas" que deixaram o país em situação de risco, mesmo ainda tendo a força que adquira nos últimos anos, os projetos que eram de importância para desenvolvimento da nação, eram barrados, mostrando que o plano tinha ganhado muitos adeptos e estava firme. A população, que não merecia ser penalizada, arcou com os prejuízos causados pela perseguição dos maus perdedores da política.

 

Outro fator entrou em cena para engrossar o caldo do caldeirão político que já fervia: A operação lava-jato. Como em muitas classes existem os honestos e os desonestos, na política não é diferente ( ), deixo o parêntese aí aberto para seus pensamentos, imagino o que  vocês gostariam de acrescentar em relação a classe política. Pois a lava jato baixou em cima da maior parte dos maus perdedores. Aí outro plano, segundo gravações de Machado, entrou no meio e disse: "para essa porra"! Se referindo a lava jato. O plano era tirar o governo eleito pelo povo, para colocar alguém indicado por eles para "estancar a sangria", e trabalharam para que fosse colocado em frente o impeachment da presidenta Dilma Roussef.

 

Complementando aquele parágrafo da constituição: § 1º - Todo poder emana do povo e em seu nome é exercido. A classe política desmorona-se depois que resolveu trabalhar para "se", ou "se" defender, ou "se" eleger sem necessitar passar pelo crivo do povo. Como existem as regras e elas estão na constituição, esse plano desmoronará, se não acontecer de desmoronar no impeachment, desmoronará esgotando o resto de confiança que ainda se mantinha da classe política. Enquanto que a lava-jato vai se encarregando de revelar os nomes daqueles que são os maiores culpados da derrocada da classe política brasileira, com uma ressalva: Que essa operação seja imparcial e impessoal. Espera-se que seja posto à mesa, para que o povo possa conhecer as verdadeiras caras, assim, respeitando-se as regras da constituição, na próxima eleição todos os maus perdedores poderão ser julgados e punidos por quem está apto para isso: O ELEITOR

 

    Seja o primeiro a comentar esta matéria!



Ver todas de: artigos