Leitura  e arte
Leiturartes
Boa tarde! Segunda-feira 20 de Agosto de 2018  -   Passagem das Pedras, Picos - Piauí

Postado em: 15/05/2014 - Por: Nonato Fontes - Visitas: 11880

Teatro dia dos pais: Um bolo quase perfeito

Teatro para comemorar dia dos pais

Texto de teatro escrito para ser apresentada em comemoração ao dia dos pais, com cunho humorístico, mas que trata de atenção aos pais por parte de seus filhos...

Teatro dia dos pais: Um bolo quase perfeito

Cena I

 

 

(sala de visita, a mãe e as filhas sentadas. Entra o filho)

 

José:  Bom dia mãe! Como tem passado?

 

Maria:  Bem, filho! Não tenho do que reclamar.

 

José:  E vocês garotonas, parecem que estão mais feias?

 

Célia:  Ora! E você está precisando de óculos?

 

Lúcia:  Também acho! Eu, por exemplo, sou linda de mais!

 

José:  Ta bom suas convencidas. E o papai, onde está?

 

Maria:  No trabalho, filho. Sempre na labuta pra criar a família.

 

José:  Na roça? No domingo?

 

Maria:  Sim... Foi vê se os bichos não invadiram por uma cerca quebrada na beira do rio.

 

Lúcia:  E você? Ta lembrando que dia é hoje?

 

José:  E como ia esquecer? Um dia tão especial!

 

Célia:  Estamos preocupadas, não sabemos o que dá ao papai.

 

Sueli:  Pois é, sempre fomos despreparadas na hora de comprar presentes.

 

José:  Posso dá uma opinião?

 

Todas:  Claro!

 

Sueli:  Era isso que a gente queria...

 

Célia:  Pois é! Afinal você também é pai.

 

Lúcia:  E como pai, sabe o que é melhor para receber no seu dia.

 

José:  Bom... Não é bem assim. Cada qual tem seu gosto.

Lúcia:  E então pra que disse que tinha opinião?

 

Célia:  Acho que o José ta caducando antes do tempo.

 

Todas:  (Sorrindo).

 

Sueli:  Mas já era de se esperar.

 

Todas:  (sorrindo).

 

Maria:  Minhas filhas deixem de aperrear o seu irmão.

 

José:  Deixa, mãe! Eu ainda não disse o que ia dizer e já vão com piadas.

 

Lúcia:  Afinal... Tem alguma idéia José?

 

José:  Claro! Se me deixarem dizer?!

 

Célia:  Vamos José... Diga logo!

 

José:  Pois bem... Vocês sabem que o papai fica muito feliz quando nos reunimos e fazemos alguma coisa aqui em casa.

 

Maria:  Isso é verdade! Ele gosta de ver a família reunida. Sempre quando acontece ele diz: "Família unida, é a vontade de Deus acontecendo!"

 

José:  O papai sempre foi preocupado com a união dos filhos.

 

Lúcia:  E isso nos trouxe um bem muito grande, pois sempre estamos um com o outro nas horas difíceis.

 

Todos:  É verdade.

 

José:  Por isso que digo, o papai gosta mesmo é de uma festinha entre a família. Não liga muito para presentes.

 

Sueli:  Ah! Pois é! Lembram daquele dia que convidamos nossos primos e tios e fizemos um almoço para o seu aniversário?

 

José:  Era uma felicidade que não tinha tamanho.

 

Lúcia:  Agora ta ficando fácil compramos um presente e preparamos um almoço. Ele vai gostar.

 

Célia:  Legal! Agora acho melhor fazermos um bolo, pois um almoço vai demorar muito e ele pode chegar a qualquer momento.

 

Maria:  Já querem fazer surpresa de novo?

José:  Isso mãe. Ele sabe que hoje é dia dos pais, mas não sabia que a gente ia preparar alguma coisa pra ele.

 

Lúcia:  Isso! Ele não sabe nem que o José ta aqui.

 

Célia:  Que tal encomendar o bolo pela Conceição?

 

Sueli:  Ela é bem mais prática que nós.

 

Maria:  Acho bom se apressarem, se não vai embora a surpresa.

 

Lúcia:  Posso ir lá enquanto vocês aguardam aí.

 

José:  Acho melhor ficarmos escondidos lá dentro.

 

Sueli:  Isso! E quando ele chegar... A mamãe fica distraindo ele e nós entramos com o bolo.

 

Maria:  Vocês sempre bem preparados para fazerem surpresas.

 

Todos:  Vamos?!

 

 

Cena II

 

(um casal vestido com trajes de cozinha)

 

Cipó:  Conceição será que dá tempo da gente fazer esse bolo?

 

Conceição:  Cipó, nóis temo a receta. É só tu lê homi.

 

Cipó:  Vixe! Adispois que aprendi a lê eu tomei gosto pur isso.

 

Conceição:  Vamu vê os apreparo que ta escrito aí. Tu vai dizendo que eu faço.

 

Cipó:  (lendo uma receita) Primero limpe bem a bacia. Limpou?

 

Conceição:  Limpei. (Limpa com a saia)

 

Cipó:  Farinha, uma xícara e meia. Botou?

 

Conceição:  Botei. (Joga a xícara com farinha e tudo e depois a meia que está calçada)

 

Cipó:  Manteiga, duas colher. Botou?

 

Conceição:  Botei. (coloca a manteiga com colher e tudo)

 

Cipó:  Uma porção de açúcar. Botou?

Conceição:  Botei. (Joga o açúcar todo)

 

Cipó:  Pegue os ovos, bata bem e coloque na bacia. Colocou?

 

Conceição:  Coloquei. (bate um ovo no outro fora e depois joga o que sobrou)

 

Cipó:  Agora mexa bem. Mexeu?

 

Conceição:  Mexi. (Rebolando para o público)

 

Cipó:  Mexa mais. Mexeu?

 

Conceição:  Mexi que to cansada. (Rebola mais rápido)

 

Cipó:  Para dá mais sabor, coloque uma porção de chocolate garoto. Colocou?

 

Conceição:  E eu lá sei onde foi que aquele menino fez o serviço. (procurando o trono do bebê)

 

Cipó:  Ta aqui! Êta que tem bastante. (Coloque chocolate ou outra coisa parecida)

 

Conceição:  Vai ficar uma deliça.

 

Cipó:  Agora junte tudo na bacia, adicione pó de canela. Adicionou?

 

Conceição:  Ai, ai, ai... É muito? (passando o ralo abaixo do joelho e fazendo que tá aparando o pó)

 

Cipó:  Deve ser! Que é pra ficar bem gostoso.

 

Conceição:  Coloquei. (faz que joga na bacia)

 

Cipó:  Junte tudo e leve ao forno. Levou?

 

Conceição:  Tô levando!

 

Cipó:  Coloque o fogo bem alto que a Lúcia ta apressada.

 

Conceição:  Coloquei. (ouve-se uma explosão - Use um pouco de pólvora ou uma bombinha, sempre com cuidado).

 

Cipó:  Credo em cruz! Rabo de galinha choca! O que aconteceu ceicinha do meu coração?

 

Conceição:  Cipó! (sai com a cara cheia de fumaça - coloque as mãos com cinza no rosto para dá o tom)

 

Cipó:  Virgem nossa senhora! Tu ta viva?

 

Conceição:  Tô! (entrando), Mas o bolo explodiu!

 

Cipó:  Vamo vê se prestou.

Cena III

 

 

(volta à sala da casa onde está a família)

 

Lúcia:  (entrando) Cheguei!

 

José:  Onde está o bolo?

 

Lúcia:  Vocês nem imaginam!

 

Sueli:  O que foi?

 

Célia:  O bolo não ficou pronto?

 

Lúcia:  pronto ficou. Agora quero saber se vocês vão gostar.

 

Maria:  Esqueci de dizer que a Conceição e o Cipó não andam bem da bola. O bolo não prestou?

 

Lúcia: Acho que ta é uma delícia!

 

Sueli:  Então pronto. É só esperar o papai chegar e entramos com o bolo.

 

Célia:  Vai ser uma surpresa e tanto!

 

Maria:  Vão que ele vem ali!

 

(saem todos ficando a mãe)

 

Maria:  Chegou Antônio? Deve ta morrendo de fome.

 

Antônio:  Nem me fale! To pra não segurar em pé. E as meninas onde estão?

 

Maria:  No quarto, estudando.

 

Antônio:  Não vêm me dar um abraço?

 

Maria:  Vou avisá-las que chegou. (saindo)

 

Todos:  (todos entram) Feliz dia dos pais!

 

(abraços e beijos no pai)

 

Antônio:  Minha nossa! Vocês querem me matar? Ainda bem que tenho o coração forte.

 

Maria:  Passaram a manhã preparando essa surpresa pra você.

Lúcia:  Pena que não sabíamos qual presente o senhor ia gostar.

 

Sueli:  E compramos esse. Esperamos que goste.

 

Célia:  Ao melhor pai do mundo! (entregando o presente).

 

José:  Ao nosso mestre.

 

Antônio:  E você! (para José) Também merece os parabéns, afinal é um grande pai pros filhos.

 

José:  Aprendi com você.

 

Maria:  Mas vamos ao bolo que a fome não espera trem atrasado.

 

Antônio:  Mas esperem! Já que o bolo é para os pais, vamos convidar todos os pais que estão na platéia para comerem do bolo também.

 

(todos vão a busca de um pai na platéia)

 

Lúcia:  Vou buscar o bolo pra dividir. (saindo).

 

(entra com o bolo - Esse é o verdadeiro bolo de festa, preparem um bem gostoso!)

 

Todos:  Feliz dia dos pais!!!

 

Compartilhar

 

 

 



Ver todas de: teatro

 

  • Nome: Aline

    Em: 02/08/2018 às 22:04:44

    Amei as falas eu sou a Lúcia?????????????????????

  • Nome: gabriele

    Em: 01/08/2018 às 20:32:25

    Achei essa peça muito interessante e engraçada vou ate fazer na igreja com as crianças no dia dos pais. Eles vão amar