Leitura  e arte
Leiturartes
Bom dia! Sábado 24 de Agosto de 2019  -   Passagem das Pedras, Picos - Piauí

Postado em: 15/05/2014 - Por: Nonato Fontes - Visitas: 7367

A lenda do boitatá

Cobra que vivia adormecida, quando despertou com muita fome, saiu pela floresta comendo os olhos dos animais mortos...

Segundo a lenda, para que a pessoa possa escapar ileso do Boitatá, se faz necessário muita coragem para ficar parada, tapar o nariz...

A lenda do boitatá

A lenda do boitatá como muitas outras varia de região para região, conta ser uma cobra com a cabeça de fogo. Sua criação, segundo a lenda, é de origem indígena, e teria sido citada ainda no séxulo XVI pelo Padre Anchieta. Na linguagem indígena Boi significa Cobra e Tatá (Fogo), Cobra de Fogo.  O texto de Anchieta veio sofrendo algumas modificações fato que pode ter provocado a regionalização da lenda, fazendo com que cada região do Brasil desse uma característica diferente para o boitatá.

 

Numa das versões, revela que é uma cobra que vivia adormecida, quando despertou com muita fome, saiu pela floresta comendo os olhos dos animais mortes que haviam por perto, daí sua cabeça passou a emitir uma luz brilhante que causava confusões nas mentes de quem olhasse diretamente para ela, diz ser a última luz do sol que o animal morto teria visto que se acumulou em seus olhos.

 

A mais comum, conta ser uma cobra que anda rastejando na escuridão da noite e durante o dia fiscalizando as matas e seus predadores, aqueles que ateiam fogo na floresta. Uma vez encontrando, usa da sua luz que emana de sua cabeça para provocar confusões de visão na pessoa levando-o a cegueira, loucura ou até mesmo a morte.

 

Segundo a lenda, para que a pessoa possa escapar ileso do Boitatá, se faz necessário muita coragem para ficar parada, tapar o nariz e fechar os olhos e esperar que ela saia. Caso isso não seja possível, correr o mais rápido possível para fugir da cobra, sendo que esta segunda seria quase impossível devido a sua velocidade e agilidade.

 

 

 

    Seja o primeiro a comentar esta matéria!



Ver todas de: folclore