Leitura  e arte
Leiturartes
Boa tarde! Quinta-feira 14 de Novembro de 2019  -   Passagem das Pedras, Picos - Piauí

Postado em: 15/08/2015 - Por: Nonato Fontes - Visitas: 4129

Luís da Câmara Cascudo: O Folclorista

Um dos mais importantes folcloristas brasileiro: Luís da Câmara Cascudo

Luís da Câmara Cascudo: Nasceu em Natal - RN em 30 de dezembro de 1898... viaja para Portugal em 1947-1948 para organizar e participar do 1º Congresso Luso-Brasileiro de Folclore...

Luís da Câmara Cascudo: O Folclorista

Quando se fala em folclore e aborda alguma coisa sobre as lendas e personagens do folclore brasileiro, estamos nada mais, levando para algumas páginas o que grandes homens estudaram, catalogaram e separaram de forma cuidadosa suas origens, diferenças regionais e a definição do que é folclore.

 

Temos no Brasil, pessoas de grande relevância no assunto, sendo vistos como catalogadores de personagens, crenças, superstições, estórias, ditados, parêmias, cantigas de roda, brincadeiras do folclore, comidas típicas, vestimentas, danças, entre muitas outras coisas que estudadas e conferidas por eles, serão contadas por outros e passadas em frente, fazendo com que o nosso folclore nunca seja esquecido.

 

Um dos mais importantes folcloristas brasileiro: Luís da Câmara Cascudo

 

Luís da Câmara Cascudo: Nasceu em Natal - RN em 30 de dezembro de 1898, é hoje conhecido como o mais importante folclorista brasileiro, foi também historiador, antropólogo, advogado e jornalista. Aprendeu a ler sozinho aos seis anos de idade graças a revista Tico Tico, lançada pelo jornalista Luís Bartolomeu de Souza e Silva. Foi a primeira revista em quadrinhos publicada no Brasil sua primeira edição data de 11 de outubro de 1905.

 

Câmara Cascudo tinha um grande sonho de ser jornalista, seu pai, pessoa de grande poder econômico, instala um jornal: A Imprensa. Onde Câmara Cascudo mantinha uma coluna chamada Bric-A- Brac, palavra em francês que se refere a coleções de objetos antigos confeccionados artesanalmente. Depois de várias viagens pelo Brasil e pelo exterior fazendo estudos e pesquisas sobre o folclore, viaja para Portugal em 1947-1948 para organizar e participar do 1º Congresso Luso-Brasileiro de Folclore. Ficou conhecido pela imprensa local como o mais expressivo no domínio do folclore e na etnografia.

 

Deixou mais de 200 obras

Estreou como escritor lançando seu primeiro trabalho: Versus Reunidos em 1920, antologia poética de Lourival Açucena, primeiro poeta do Rio Grande do Norte, tinha a poesia ligada ao romantismo e forte relação tardia com o arcadismo.  Em seguida, em 1921 lançou: Alma Patrícia. Primeiro livro inteiramente seu, crítica literária dos poetas potiguares desconhecidos do resto do país. Neste mesmo ano publica na Revista do Brasil, editada por Monteiro Lobato: O Aboiador. O texto trata de temas ligados a cultura popular, mostrando a predileção de Luís da Câmara Cascudo pelo assunto.

 

Obras em destaque:

Dicionário do Folclore Brasileiro

Literatura Oral no Brasil

Vaqueiros e Cantadores

Canto de Muro

Rede de Dormir

Jangada

História dos Nossos Gestos

História da Alimentação no Brasil

Civilização e Cultura

Geografia do Brasil Holandês

Geografia dos Mitos Brasileiros

Contos Tradicionais do Brasil

Locuções Tradicionais do Brasil

Lendas Brasileiras

Superstições e Costumes

O Dicionário do Folclore Brasileiro, que teve a sua primeira edição em 1954, foi a primeira compilação acadêmica de temas ligados ao Folclore, que não tinha, na época, "status" de ciência.

 

Referências bibliográficas:

Wikpédia: Aqui

adcon.rn.gov.br: Aqui

Ludovicus - Instituto Câmara Cascudo: Aqui

 

    Seja o primeiro a comentar esta matéria!



Ver todas de: folclore